Desconstruindo Jeff Bezos

Publicado por . Em: Livraria

Como não admirar Jeff Bezos? Rejeitado pela mãe, adotado por um casal excepcional que, observando seu desenvolvimento, investiu em sua capacidade, matriculando-o numa escola para alunos avançados.

Sempre teve apoio dos pais, inclusive na abertura e manutenção da Amazon, já que a a loja de tudo só conseguiu ter lucro a partir do Kindle. E, só lucrou mesmo, com a informação em nuvem, investindo alto na Índia e no Brasil.

Jeff Bezzos sempre estava próximo dos principais fatos de sua época. E, como toda pessoa com um objetivo muito definido, não há promoção de alinhamento, mas, controle de cada passo de seus colaboradores diretos, extraindo sua visão, ainda que muito avançada para a época.

Amazon

Começou seu comércio eletrônico com livros, já que os livros possibilitavam conhecimento direto _ já que as pessoas os conheciam : título, tamanho. Segundo Bezos, “o exemplar de um livro em um loja era idêntico ao exemplar do mesmo livro vendido em outra loja, de forma que os compradores sempre sabiam o que estavam comprando.”   

Um dos entraves principais do comercio eletrônico, a dificuldade de visualização do produto.  Pontuou estratégias de venda pioneiras afastando aqueles obstáculos de conhecimento comum que impediam o aumento do comércio eletrônico. Como por exemplo: atraso na entrega, produto amassado ou rasgado pelo entregador, preço do frete maior do que o produto.

Alguns dos obstáculos pelos quais ainda passamos, a menos que compre pela Amazon e sua disponibilidade de entrega direta externa aos Correios, no caso do Brasil. 

Sua visão e a persistência nesses pontos-chave fizeram com que a empresa não tivesse lucro, já que, desbravou caminhos nunca d´antes tentado.

A bolha da Internet

Durante a bolha da internet no fim da década de 1990, os jornalistas concordaram que indicadores malucos explicavam a qualidade de companhias sem valor cujas ações todos desejavam ansiosamente comprar.

A Amazon tinha um problema estrutural, ainda que tentasse incluir itens em seu catálogo e tornar-se o que seu idealizador chamava como a loja de tudo. Quem atraia a maior quantidade de compradores, ainda era os livros, e, de acordo com Bezos, analisando sua base de dados no início de 1998, “ …a grande maioria dos consumidores não usava a Amazon.com e não apresentava grandes chances de começar a usá-la simplesmente porque comprava pouquíssimos livros.” 

Tornou-se um problema estrutural já que sua principal base de vendas era o produto em que mais gastava energia e dinheiro da companhia, mas na essência, não lhe dava lucro.               

Comércio Eletrônico

Temos entretanto de referenciar, vários procedimentos de simplificação ao cliente no comércio eletrônico devemos a Jeff Bezos. Podemos citar como o sistema Similarities_ versão preliminar que dividia os clientes em grupos de acordo com o histórico de compra e depois encontrava livros capazes de atrair o interesse de cada grupo. Tal ferramenta permitiu a Amazon colocar à disposição dos clientes de livros que, não fosse por ele, poderiam jamais ter encontrado. Ponto.

O cliente prime, o frete zero. Realmente são pontos de desconforto do cliente de livros. No caso da Amazon ainda é já que para termos o frete grátis têm-se que gastar acima de determinada quantia, ainda.

A Amazon foi uma das primeiras a perceber a incompatibilidade do sistema “ Arca de Noé”, ou seja, ter em estoque dois volumes de todos os livros impressos. Deste modo, a Amazon não guardava inventário próprio, apenas fazia os pedidos nas distribuidoras e então os enviava rapidamente.                     

Veja que este sistema só está sendo utilizado pelas empresas nos últimos anos, e, ainda em sistema de parceria aberta. Apesar da Amazon ter implantado o sistema em 1992, através do zShops, um serviço que permitia a pequenos vendedores abrir suas próprias lojas na Amazon.com.

A compra com um clique, já constando as informações de cartão de crédito e endereço da compra anterior.        A interface da página inicial mais dinâmica e ilustrativa.

Concorrência

Quanto a concorrência a visão de Bezos sempre foi algo indecifrável, apesar de dizer que “ não se preocupem com nossos concorrentes porque eles nunca vão nos dar nenhum dinheiro. Vamos nos preocupar com nossos clientes e permanecer completamente fechados.”. Tal fato não explica porquê aliciou diversos colaboradores do Wallmart, descaradamente, utilizando residências de funcionários para realizar entrevistas de empregos.

E, repensando seus valores fundamentais, acrescenta mais um, além da obsessão pelo cliente, simplicidade, propensão a ação e padrões elevados de talentos, acrescenta-se a inovação.

Até 1998, a grande maioria dos consumidores não usava a Amazon.com e não apresentava grandes chances de começar a usá-la simplesmente porque comprava pouquíssimos livros.    Então, a sua frase sobre concorrente não abrangeu o EBay ? Jeff Bezos temia o crescimento extraordinário do EBay em 1998, idealizada por Pierre Omidyar – origem iraniana, já que lucrava pelo pagamento de comissões, já que a empresa apenas intermediava negócios, barateando totalmente sua atividade, sem estoque, sem parceria, sem ter de enviar os pedidos.

E, aí que Jeff Bezos, resolveu “ decidir no que a Amazon seria boa”, parafraseando Jim Collins em seu  Empresas feitas para Vencer.

Se tornando uma empresa de tecnologia e não uma varejista, daí a hospedagem em nuvem, e o investimento maciço em países como a Índia e o Brasil.

Tanto preocupou que a partir do início dos anos 2000, também pressionada por seus acionistas, resolveu que já era hora de não só pagar contas mas ter lucro.         

Deixe seu comentário

*
*